IDG

A Irmandade Druídica Galaica (IDG) é uma associação religiosa sem fins lucrativos formada por Caminhantes (membros) da tradição druídica galega. A IDG está registada oficialmente com o Ministério da Justiça espanhol com o número 022549 e conta, portanto, com atribuições e protecção legal.

A Irmandade oferece acovilho a crentes druídicos, assim como a celebração conjunta de rituais e observância do calendário céltico em comunidade. Aliás, a Irmandade oferece serviços religiosos e conselho a petição do Clã.

A Irmandade Druídica Galaica partilha os princípios gerais da Druidaria expressados por outras comunidades druídicas no mundo, mas com uma ênfase especial na tradição própria e legado céltico galego, que acreditamos ser cerne do Celtismo Atlântico. Existe, de facto, uma continuidade nas crenças, folclore e carácter galego que pode ser rastreada até os tempos da velha Civilização Céltica Galaica. Deste jeito, a Irmandade presta muita atenção à precisão histórica e evidências documentais existentes, aprendendo cada dia segundo critérios científicos. Assim e todo, a visão da Druidaria da Irmandade adapta-se ao tempo contemporâneo para evitar anacronismos e fazer esta crença druídica relevante às pessoas de hoje em dia, tendo em conta que esta é, afinal, uma associação religiosa onde são feitas interpretações religiosas.

Porém, a Irmandade Druídica Galaica não copia outros modelos de Druidaria nem outras tradições ou escolas, nem fai reconstruções arbitrárias. A Irmandade procura primeiro nas expressões religiosas, espirituais e filosóficas autóctones do velho território galaico os referentes para os seus ritos, práticas, valores e crenças actuais. Só quando estas fontes originais estão incompletas ou simplesmente desaparecidas, acode-se ao entorno geográfico-cultural imediato, é dizer, à Céltia da Europa Atlântica e, se preciso, à grande Céltia Pan-Europeia.

Dito isto, a IDG considera este caminho válido para os seus membros e entende que tem significado pleno na Galiza actual, Norte de Portugal e demais zonas de cultura galaica, o qual não implica que outras vias druídicas não poidam ser perfeitamente válidas para diversos indivíduos ou colectivos, ou que não possa haver um fluído e amigável diálogo e relacionamento. Noutras palavras, entende-se esta como uma visão desde e para esses territórios da antiga Galécia, nem melhor nem pior, mas que simplesmente afunde as suas raizeiras nuns referentes e numa espiritualidade já bem familiar para nós.

 

O que a IDG não é:

– A IDG não é uma simples associação cultural ou grupo que segue só uma filosofia ou determinado estilo de vida. Além doutras considerações, a IDG é principalmente um associação religiosa organizada – para nós a Druidaria é uma religião – que evidentemente toma com total seriedade os aspectos espirituais e transcendentes. Temos normas e princípios onde não vale o “tudo vale”.

– A IDG não é um “grupo secreto” ou “misterioso”. A IDG realiza actos públicos e abertos (muitas vezes colaborando com outros grupos não-religiosos), onde é possível falar connosco livremente assim como contactar-nos por meios electrónicos. As pessoas podem solicitar a sua entrada ou saída da nossa associação à vontade, tal e como fica explicado nos nossos estatutos. O que sim somos é pouc*s e humildes, e por talvez isso não temos mais presença social, junto com o facto de não fazermos proselitismo.

– A IDG não é uma organização passiva ou contemplativa porque a Druidaria não é assim, nunca o foi, ao estar sempre vencelhada aos interesses e dignidade do seu Povo, da sua Comunidade. A nossa implicação é com a defesa do que consideramos correcto (os ‘Nove Compromissos Druídicos’), sempre mediante métodos pacíficos mas activos (através das ‘Nove Virtudes’). Valorizamos uma atitude construtiva e envolvida na melhora do nosso mundo, não a mera teoria ou debates sem mais transcendência.

– A IDG não é uma entidade com fins lucrativos. O dinheiro ou recursos que poidam ser angariados são utilizados única e exclusivamente para a manutenção da própria entidade, tentando garantir a sua viabilidade futura. Se houver algum tipo de extra este é dedicado a obras sociais ou planos a longo prazo. Todos os fundos são conseguidos por via de doações voluntárias ou venda de material, nunca mediante quotas fixas, dinheiro público ou subvenções.

 

Organização

A IDG distingue os e as Crentes em geral, um corpo de Caminhantes (membros oficiais da IDG), e ainda depois três possíveis títulos: o Bardo, que é um título honorífico, e dous graus religiosos como são Ovate (iniciado/a) e Durvate (Druida/Druidesa).

Os e as Crentes druídicos em geral não têm que dar o seu nome para nada nem se alistarem em rem. Esse ou essa podes ser ti, lendo estas linhas, e a IDG tentará sempre te estender os seus serviços e ajuda de forma desinteressada. O conjunto de todos e todas as crentes druídicas galaicas é o que denominamos a Treba Mor (Grande Tribo).

A Caminhante é uma pessoa que entra a formar parte da estrutura da IDG. É alguém que vai um passo além, adquirindo um decidido compromisso pessoal e prático – mãos à obra – na ajuda diária à IDG. A Caminhante respeita, aceita e defende os princípios druídicos, assim como as normas e organização da IDG. A união de todos e todas as Caminhantes é o Clã Mor (Grande Clã).

Para mais informação detalhada em como virar Caminhante veja-se o apartado de filiação.

Como é óbvio, não é preciso ser Caminhante para ser simplesmente crente da Druidaria ou crente na linha representada pela IDG.

Por outra banda, Bardo é uma pessoa detentora da memória, conhecedora da história, lendas e realidades, música e poesia. É uma grande comunicadora, guardiã e transmissora do saber da Treba Mor. A Bardo não oficia rituais religiosos nem toma decisões, mas a sua palavra é sempre válida e ouvida. É a conselheira dos Druidas e Druidesas. Bardo é um título honorário que pode ser dado tanto a Crentes, Caminhantes ou Ovates, assim como a pessoas cuja relevante contribuição à Druidaria, à IDG ou aos princípios e fins que defende a fagam digna de tal distinção.

Dentro das categorias estritamente religiosas, Ovate é o primeiro chanço no ordenamento druídico. A Ovate é uma estudante activa da Druidaria que pode aspirar ser Druida ou Druidesa. A Ovate pode assistir a Bardos e Druidas e ajudar na organização e ritos da Irmandade. A Ovate deve ganhar o direito a usar tal nome.

A Druidesa / O Druida –  Durvate ou Durbede – é a figura que pode oficiar ou designar oficiante, atender os ritos sacerdotais e serviços demandados, resolver disputas e tirar dúvidas, aconselhar sobre questões de crença, marcar o calendário e interpretar sinais. A Durvate não é escolhida pelos Deuses nem é a sua única voz, nem é infalível, mas é alguém reconhecida pelo Clã e ratificada pelo Conselho Druídico como pessoa de sabedoria. O conjunto de Durvates formam o Conselho Druídico Galaico.

As Durvates, e por tanto a Irmandade, dividem-se em jurisdições territoriais ou Trebas. Cada Treba tem uma Durvate Treba ou responsável máxima, coordenadora das outras Durvates nesse lugar. A coordenadora de todas as Trebas, líder do Conselho Druídico e por tanto da Irmandade, é a Durvate Mor (Arqui-Druidesa/Druida).

 

Ficha da IDG, seguindo o modelo internacional para Ordens e Grupos Druídicos

Localização: Galiza. Âmbito de acção da denominada “comunidade autónoma galega”, zonas limítrofes orientais de cultura e fala galega e Norte de Portugal (até o Mondego).

Presença web: http://www.durvate.org e alternativamente em http://www.facebook.com/Durvate, http://twitter.com/Durvate e http://ask.fm/durvate. De forma experimental existe também um canal de Youtube.

Fundação: 11 Novembro 2011.

Linha: Druidaria Galaica (Atlântico-Europeia), reconstrucionista adaptada.

Ênfase em: Aspecto espiritual e cultural. Celebração de rituais anuais principais. Ritos e serviços por petição. Defesa das tradições galaicas.

Idiomas: Galego-Português como idioma por defeito e único para liturgia. Inglês e espanhol para comunicados esporádicos e relações exteriores.

Símbolos principais: Awen com tríscele galaico no topo girando de Oeste a Este. De preferência com raios verdes e aspas azuis.

Textos de referência: Estudos sobre a religião galaica antiga. Textos sobre a história, etnografia, geografia e sociologia da Europa Atlântica.

Condições de admissão: Ser Crente da Druidaria Galaica, aceitar as normas da IDG, completar um formulário e passar um período de prova (consideração de “Caminhante”).

Cerimónias: As quatro principais do calendário céltico: Magusto (Samhain), Entroido (Imbolc), Maios (Beltaine) e Seitura (Lugnasad). Equinócios e solstícios discricionais. Ritos passagem e serviços religiosos a petição do Clã. As cerimónias podem ser universais (membros e não membros da IDG), gerais (membros da IDG) ou privadas (só Durvates e convites directos).

Frequência: Anual para as celebrações de calendário. Discricional para serviços religiosos a petição do Clã.

Graus de iniciação: Sim. Três principais (Ovate, Bardo, Durvate) e subníveis para cada um.

Carácter sacerdotal: Sim.

Rito de iniciação: Sim, nas ordenações de Ovates e Durvates. Discricional nos Bardos.

Iniciação da mulher: Sim. Não há distinções entre mulheres e homens.

Atribuição dum nome iniciático: Não requerido.

Promessas: Sim, na iniciação de qualquer um dos graus.

Vestidos cerimoniais: Sim, nomeadamente para Durvates, que nos ritos devem vestir de branco ou parte superior branca, se bem podem usar capa doutra cor. Roupas em branco, azul ou verde são recomendadas para Bardos e Ovates em cerimonias formais. Os Durvates devem ter, de não ser por motivos médicos ou naturais, cabelo comprido como mínimo por debaixo das orelhas.

Ensinamento: Sim. Na rede e por escrito, mas o ensinamento presencial é essencial.

Publicações: Não sistemáticas nem regulares.

Cerimonias familiares: Sim, a petição dos Crentes e após formalização com estes.

Incompatibilidades: Estar adscrito/a de maneira voluntária ou ser membro activo/a duma outra religião ou movimento espiritual não druídico, reconhecido ou não. Usar a associação à IDG para fins de promoção pessoal ou proselitismo. Atentar contra os Direitos Fundamentais do Ser Humano e/ou Direitos Fundamentais dos Animais. Dedicar-se à caça como actividade lúdica ou desportiva. Ser membro dos corpos e forças de segurança do Estado Espanhol. Desonrar ou atentar contra a cultura, povo e Terra Galaica.

 

8 responses to this post.

  1. Posted by Paulo da Rocha on 31/01/2015 at 22:32

    Ainda bem que existe algo assim. Parabéns, parabéns, parabéns!

    Responder

    • Obrigad*s Paulo🙂 Somos humildes, mas tentamos fazer as coisas o melhor que sabemos e vamos aprendendo no caminho. O mais importante é que as pessoas entre em contacto entre elas e falem livremente. Esse, talvez, é o nosso principal objectivo, poder ser um ponto de encontro para a gente que acredita nisto que dizemos.

      Responder

  2. Posted by rulian lopes martins on 04/09/2015 at 01:12

    queria saber mais

    Responder

  3. Posted by rulian lopes martins on 04/09/2015 at 14:26

    duas pessoas q se dizem videntes ja me falaram sobre ovates, e isso me intrigou, por isso queria saber mais

    Responder

    • Olá,
      A palavra ovate tem tido diferentes significados ao longo da história. Para algumas pessoas ovate era um tipo ou especialização de Druida na antiguidade, nomeadamente aqueles/as com capacidade de “verem além”. Contudo, desde os começos da época contemporânea da Druidaria (S.XVIII), a palavra ovate ficou associada a um grau iniciático, prévio ao de Druida. Assim, na IDG, ovate é o primeiro nível de iniciação, por sua vez dividido em três sub-níveis; só depois de completado este processo uma pessoa pode chegar a ser Durvate (Druida/Druidesa) na nossa organização.
      PD. Não faz falta ser vidente para saber isto😉

      Responder

  4. Posted by Ada Camões on 10/09/2015 at 21:34

    não tinha ccunhecimento algum sobre ovates ou druidas, mas recentemente após uma situação na qual me vi envolvida fiquei bastante curiosa sobre o assunto,gostaria de saber onde posso encontrar artigos ou livro sobre a sua história

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: