A via da Caminhante

Ritual de Magusto (2011), aberto ao público em geral.
Ritual de Magusto (2011), aberto ao público em geral.

Frequentemente pergunta-se-nos como é que se pode entrar a formar parte da IDG, indo além do individualismo e fortalecendo um projecto comum. Isto é, como virar Caminhante.

Antes de mais nada, o que é um ou uma Caminhante? É umha pessoa que ingressa na estrutura da Irmandade Druídica Galaica adquirindo um decidido compromisso pessoal e prático – maos à obra – na ajuda activa à IDG e no que esta defende.

Por exemplo, um ou umha Druidista (Crente) é qualquer pessoa que acredite na Druidaria e concorde com a focagem e ideias da IDG, isto é, pode ser alguém anónimo simplesmente a ler estas linhas… E a IDG sempre tentará, dentro das suas possibilidades, estender a sua ajuda e serviços a estes Druidistas de forma desinteressada. Mas a figura do Caminhante é diferente, pois esta pessoa pergunta-se “Como posso eu ajudar à Irmandade?”.

Assim, pode haver Druidistas que decidam encarar esse compromisso e darem esse passo. Contudo, recomenda-se ler com muita atençom a secçom de filiaçom antes disso, entendendo que a figura de Caminhante é umha figura voluntária nom-iniciada (nom implica em absoluto nenhum tipo de aspecto sacerdotal) e que, tamém, umha vez solicitada a inscriçom esta pode ser recusada ou condicionada sem mais explicaçom. Por exemplo, um requisito nesta altura é que nalgum momento do processo deve haver um encontro real com a pessoa candidata.

 

PD. Na IDG nom existem quotas para membros nem tarifas polos nossos serviços religiosos. As nossas despesas som cobertas unicamente através de doaçons voluntárias e algum material à venda.

Anúncios

É oficial – It’s official

IDG_oficial
Detalhe da inscriçom no R.E.R.

Depois dum longo processo, podemos comunicar que a Irmandade Druídica Galaica é já umha entidade religiosa oficial, registada legalmente com o Ministério de Justiça (espanhol) que é, para o nosso caso, a autoridade de turno competente em território galego para estes assuntos.

Assim, com o número de registo 022549, a IDG passa a contar com personalidade jurídica própria, atribuiçons e protecçom legal a nível internacional. Aliás, pode-se dizer que – já nom só desde um ponto meramente simbólico – a Druidaria é umha crença oficial e legalmente estabelecida em território galego[1].

After a long administrative process, we can now announce that the ‘Pan-Galician Druidic Fellowship’ is an official religious association. With registration number 022549, the IDG acquires full legal status and protection. Druidry is, therefore, an officially and legally established belief in Galician territory.

Houvo debate sobre a necessidade ou nom de darmos este passo, esta formalidade administrativa que publicamente nos apresenta perante o poder estabelecido. Contudo, a conclusom foi que os benefícios da tal “legalizaçom”, nom como associaçom cultural nem nada parecido, senom como grupo religioso formal, nom só enviaria umha poderosa mensagem senom que protegeria – quando menos no papel – a nossa prática pública e direitos dos nossos e nossas Caminhantes, tanto ou tam pouco como qualquer outra religiom ou crença.

A IDG via a luz pública no Magusto de 2011 com a vocaçom de pôr em contacto e fornecer informaçons a todos aqueles e aquelas interessadas na Druidaria Galaica, actuando como um nexo de uniom virtual. Desde aquela, a IDG foi muito lenta e humildemente crescendo de forma natural, mas tamém com passo firme – com certeza que sob o olhar da Deusa Íccona Loimina. Foi em Março de 2015 quando os seus estatutos e outros documentos relevantes foram depositados perante Notário e formalizados como parte dum Documento Público, passo requerido para depois serem imediatamente apresentados no tal Ministério, onde a IDG foi inscrita no último dia do mês de Junho. A notícia chegou até nós só a finais de Julho, completando um parêntese entre Bel e Lugus, entre luz e luz, com solstício no meio, dando-nos ainda mais um motivo de celebraçom nesta Seitura.

Porém, isto nom significa que a IDG vaia mudar a sua forma de operar, nem vai afectar as nossas crenças nem valores, nem como nos relacionamos com o resto. Este facto simplesmente acrescenta a capacidade de podermos defender as nossas ideias e princípios estabelecidos nos nossos estatutos, se for preciso, com todas as ferramentas existentes ao nosso alcance dada a conjuntura histórica. Continuaremos como sempre, passeninhamente, no percurso seguido até o momento, sem mais.

Relacionado com isto, e se bem existe umha protecçom internacional como foi comentado, é certo que administrativamente este reconhecimento da nossa religiom nativa é plenamente válido na totalidade do actual Estado Espanhol, onde a Galiza fica inserida, mas nom na metade do velho território galaico que fica dentro do Estado Português. Trabalharemos para no futuro poder fazer com que a IDG e toda pessoa que quiser praticar a Druidaria Galaica nom tenha que pensar de que lado da “raia” está.

Por último, queremos fazer público o nosso grande agradecimento a duas organizaçons amigas: a Hermandad Druida Dun Ailline e a Orden Druida Fintan, ambas da Catalunha, e nomeadamente às suas Arqui-Druidesas, Marta Seanoir Rifennid Vey e Esther Euentia, polo seu inestimável apoio desde o começo e ajuda desinteressada. Abofé que figeram a nossa vida mais fácil! 🙂

Que Íccona Loimina continue a nos sorrir. A ela nos consagramos na nossa criaçom, com ela continuamos cavalgando.

 

[1] Definiçom de Druidaria segundo o “Observatorio del Pluralismo Religioso” espanhol (actualizado no 27/09/2015).

 

Gostas da IDG? Tu podes ajudar a que este trabalho continue – Do you like the IDG? You can help us continuing our work 🙂